Às vezes sentimos que estamos apegados a alguém e consideramos que isso é normal, afinal de contas, gostamos tanto dessa pessoa. Mas existe uma diferença entre amar alguém e estar apegado a ela. Amar alguém é o sentimento mais nobre que existe, é quando os chacras do coração se tocam. O amor é o mais alto padrão que uma alma pode almejar. No entanto há uma tendência natural do ser humano para se apegar aquilo que ama. Parece que nós, ao amarmos alguém estamos a considerar, de alguma maneira, que aquilo é nosso, que nos pertence. E isto é valido tanto para pessoas, como para bens materiais. A questão é que a nível espiritual, ninguém é de ninguém, todos somos almas livres. Cada um de nós é uma faísca de vida, independente e única.

Quando amamos um filho, por exemplo, amamos aquela alma com todas as nossas forças, somos capazes de dar a vida por ele. Mas ao mesmo tempo achamos que ele é nosso, que faz parte de nós. 

Vamos imaginar que tens um filho de 3 anos: amas aquela criança, adoras estar perto e cuidar dela. Isto é amor. Contudo, quando deixas o teu filho no infantário e ficas com o coração apertado, com uma sensação estranha e passas o dia com medo que alguma coisa lhe aconteça, isto é apego.

Em termos espirituais é como se uma parte da tua alma tivesse ficado lá, no infantário, juntamente com o teu filho. É como se uma parte da tua energia tivesse ficado a vibrar pelo teu filho. Essa sensação estranha de peito apertado não é mais, do que o espaço que ficou vazio na tua energia, é uma espécie de buraco negro. É aqui que as coisas deixam de ser saudáveis, quando tu não te dás ao trabalho de preencher esse vazio com coisas tuas, coisas que te completem, que te façam voltar a vibrar pela tua energia.

O apego é algo intrínseco ao ser humano, é muito difícil, eu diria mesmo impossível, uma pessoa amar sem se apegar. Há, no entanto, um fator a ter em consideração se quiseres ter uma essência feliz: a dependência. Podes apegar-te ao que quiseres, mas não deves depender disso. Para teres uma vida feliz, não podes estar dependente de outra coisa, que não seja a tua própria energia. É claro que podes, e deves, ter outras coisas que vão ampliar essa felicidade, mas não deves nunca depender disso.

Para perceber se estás dependente de alguma coisa, o truque é simples, basta imaginares como seria a tua vida sem essa coisa. Imagina, por exemplo, que estás apegado ao teu companheiro e que ele vai fazer uma grande viagem por uns meses. Como seria a tua vida sem essa pessoa? Continuavas a ser uma pessoa feliz? Irias aproveitar essa oportunidade para desenvolver algum hobbie? Ou irias ficar a contar os dias para que ele voltasse?

Na verdade, não importa se és apegado ou não. Importa é que tenhas uma vida que te preencha, que te faça feliz e para isso, só precisas de estar bem contigo próprio. Se sentes alguma dificuldade em encontrar dentro de ti as ferramentas para criares essa vida preenchida, eu sugiro que leias o meu e-book “ENCONTRE-SE COM A SUA ALMA”. Lá vais encontrar um sistema especial que eu desenvolvi para te ajudar a encontrar paz interior, dicas para teres um dia-a-dia mais feliz e para perceberes o que poderá estar a bloquear o teu caminho. Para descarregares este E-BOOK GRÁTIS, basta acederes a https://rutevidigal.pt/ebook/.

Boas leituras ?

Categories: Espiritualidade

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *